PESSOAS QUE ACESSARAM O BLOG:


sábado, 4 de junho de 2011

Cabral monta gabinete de crise após ação em quartel dos bombeiros

O governador do Rio, Sérgio Cabral, classificou de "grupo de vândalos e irresponsáveis" os bombeiros que invadiram o quartel-general da corporação e confirmou a exoneração do comandante-geral dos bombeiros do Estado, coronel Pedro Machado. O cargo deverá ser ocupado pelo coronel Sérgio Simões.

Em entrevista coletiva, o governador disse que o grupo de bombeiros que participaram da manifestação não vai "prejudicar de forma alguma a imagem de uma instituição tão respeitada e querida pelo povo do Rio de Janeiro".

Cabral iniciou a coletiva defendendo a política adotada durante seu governo. "Há décadas o corpo de bombeiros não vê o número de equipamentos e condições de trabalho que recebeu nos últimos quatro anos", disse.

Além disso, o governador foi enfático ao afirmar que os responsáveis responderão administrativa e criminalmente pela invasão.

10 comentários:

Anônimo disse...

O GOVERNO SÉRGIO CABRAL ESTÁ TENTANDO ENGANAR A POPULAÇÃO

Apenas para fins de estimativa, vamos considerar 0,5% de inflação ao mês, totalizando 24,2% a inflação no período de janeiro/2007 até abril/2011.

Em 2006, na AME/RJ, o candidato Sérgio Cabral (PMDB) disse que sabia que as nossas perdas salariais já eram superiores a 54% e que faria essa reposição.

Usando uma matemática simples, podemos estimar as nossas perdas até abril/2011 em 54% + 24,2% = 78,2%.

Como o governo alega ter concedido 33,65%, ainda falta ao governo Sérgio Cabral (PMDB) repor perdas salariais para os Bombeiros e Policiais Militares da ordem de 45%, portanto, ainda NÃO TIVEMOS NENHUM AUMENTO, NEM AS NOSSAS PERDAS SALARIAIS FORAM REPOSTAS!

O Salário Mínimo Necessário (quantia mínima para arcar com as despesas básicas, ou seja, atender às necessidades vitais), calculado pelo DIEESE e amparado pelo artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal, referente ao mês de Maio de 2011 é o seguinte: R$ 2.293,31 (dois mil, duzentos e noventa e três reais e trinta e um centavos).

http://www.dieese.org.br/rel/rac/salminMenu09-05.xml

O soldo do Soldado PM ou BM não pode ser inferior ao salário mínimo vigente (R$ 545,00).

A remuneração dos 2º Sargentos, 3º Sargentos, Cabos e Soldados encontra-se IRREGULAR!

http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/infomoney/2011/06/03/salario-minimo-deveria-ser-r-229331-para-brasileiro-arcar-com-despesas-basicas.jhtm

Os vencimentos dos Militares Estaduais ficarão ainda mais defasados em 2012, pois o salário mínimo vai ter um reajuste bem maior do que o que foi oferecido pelo DESGOVERNADOR do Rio de Janeiro. Com essa desvalorização, vamos ver Oficiais com soldo inferior ao mínimo!

http://3.bp.blogspot.com/-ne34o4qJD-M/TbcXlZiIt1I/AAAAAAAAAic/OXMGVBTwJtY/s1600/Sem+t%25C3%25ADtulo.png

Anônimo disse...

PMERJ e CBMERJ - pior salário do país (MAIO/2011)

CORONEL - R$ 7.744,18
TEN CEL - R$ 6.520,93
MAJOR - R$ 4.928
CAPITÃO - R$ 3.691,81
1º TEN - R$ 3.189,40
2º TEN - R$ 2.749,19
ASP OF - R$ 2.292,31
AL OF - R$ 984,30 (SOLDO INFERIOR AO MÍNIMO)
SUBTEN - R$ 2.892,13
1º SGT - R$ 2.566,09
2º SGT - R$ 2.246,05 (SOLDO INFERIOR AO MÍNIMO)
3º SGT - R$ 1.967,36 (SOLDO INFERIOR AO MÍNIMO)
CABO - R$ 1.429,30 (SOLDO INFERIOR AO MÍNIMO)
SOLDADO - R$ 1.085,98 (SOLDO INFERIOR AO MÍNIMO)
AL SD - R$ 705,09 (SOLDO INFERIOR AO MÍNIMO)


CONFIRA a Tabela Salarial dos SOLDADOS das POLÍCIAS MILITARES e dos CORPOS DE BOMBEIROS MILITARES do Brasil (em Início de Carreira)

EM ORDEM DO MAIOR PARA O MENOR SALÁRIO PAGO:

01º - Brasília - R$ 4.464,11
02º - Sergipe – R$ 3.212.00
03º - Goiás – R$ 3.022.00
04º - Mato Grosso do Sul – R$ 2.376.00
05º – São Paulo – R$ 2.370.00
06º – Paraná – R$ 2.328,00 1
07º - Amapá – R$ 2.270.00
08º – Minas Gerais - R$ 2.241.00
09º - Maranhão– R$ 2.237.39
10º – Bahia – inicial - R$ 2.127.00
11º - Tocantins – R$ 2.072.00
12º - Alagoas - R$ 2.018.56
13º - Rio Grande do Norte – R$ 2.015.00
14º - Espírito Santo – R$ 2.001.14
15º - Mato Grosso – R$ 1.979.00
16º - Santa Catarina – R$ 1.800.00
17º - Amazonas – R$ 1.746.00
18º - Ceará – R$ 1.729,00
19º - Roraima – R$ 1.726.91
20º - Piauí – R$ 1.572.00
21º - Pernambuco – R$ 1.531.00
22º - Acre – R$ 1.499.81
23º - Paraíba – R$ 1.497.88
24º - Rondônia – R$ 1.451.00
25º - Pará – R$ 1.415,00
26º - Rio Grande do Sul – R$ 1.372.00
27º - Rio de Janeiro - R$ 1.085,98


Salário Mínimo Necessário (MAIO/2011): R$ 2.293,31 (dois mil, duzentos e noventa e três reais e trinta e um centavos).

Amparo legal: Constituição da República Federativa do Brasil, artigo 7º, inciso IV.

Anônimo disse...

Piso salarial deveria ser R$ 2.293,31 para servidor arcar com despesas básicas

O militar estadual precisaria de um piso salarial no valor de R$ 2.293,31 (dois mil, duzentos e noventa e três reais e trinta e um centavos) em maio, para conseguir arcar com suas despesas básicas, de acordo com dados divulgados pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) nesta sexta-feira (3 de junho).

O salário mínimo necessário é o que segue o preceito constitucional de atender às necessidades vitais do cidadão e de sua família, como moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, sendo reajustado periodicamente para preservar o poder de compra.

Amparo legal: Constituição da República Federativa do Brasil, artigo 7º, inciso IV.

Anônimo disse...

Parabéns aos BOMBEIROS do RIO DE JANEIRO pelo exemplo de cidadania que estão dando. Não adianta a Globo tentar acusá-los, pois todo mundo sabe que o Governo do Estado está errado! Mentira tem pernas curtas. O investimento que o Governador precisa fazer é no SOLDO dos Militares Estaduais, que absurdamente encontra-se abaixo do salário mínimo vigente (R$ 545,00).

Anônimo disse...

A ÚNICA COISA QUE ELE SABE FAZER A 5 ANOS É MENTIR,MENTIR,MENTIR....

Anônimo disse...

Soldado de Brasília ganha R$ 4.464,11

PMERJ e CBMERJ - pior salário do país (MAIO/2011):

CAPITÃO - R$ 3.691,81
1º TEN - R$ 3.189,40
2º TEN - R$ 2.749,19
ASP OF - R$ 2.292,31
AL OF - R$ 984,30 (SOLDO INFERIOR AO MÍNIMO)
SUBTEN - R$ 2.892,13
1º SGT - R$ 2.566,09
2º SGT - R$ 2.246,05 (SOLDO INFERIOR AO MÍNIMO)
3º SGT - R$ 1.967,36 (SOLDO INFERIOR AO MÍNIMO)
CABO - R$ 1.429,30 (SOLDO INFERIOR AO MÍNIMO)
SOLDADO - R$ 1.085,98 (SOLDO INFERIOR AO MÍNIMO)
AL SD - R$ 705,09 (SOLDO INFERIOR AO MÍNIMO)

Obs: UM ASPIRANTE (PMERJ/CBMERJ) TEM VENCIMENTO INFERIOR AO SALÁRIO MÍNIMO NECESSÁRIO calculado pelo DIEESE e amparado pelo artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal. A remuneração dos 2º Sargentos, 3º Sargentos, Cabos e Soldados encontra-se IRREGULAR!

AS FAMÍLIAS DOS BOMBEIROS E POLICIAIS MILITARES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PASSAM FOME!

O militar estadual fluminense precisa de um piso salarial no valor de R$ 2.293,31 (dois mil, duzentos e noventa e três reais e trinta e um centavos) em maio, para conseguir arcar com suas despesas básicas, de acordo com dados divulgados pelo DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) nesta sexta-feira (3 de junho de 2011).

Anônimo disse...

Definitivamente, o Rio de Janeiro está vivendo uma DITADURA, até quando???

Anônimo disse...

Bombeiros do PR, BA, MG e PE ganham o dobro do que os do RJ

Soldados do Corpo de Bombeiros do Paraná, Bahia, Minas Gerais e Pernambuco ganham pelo menos o dobro de salário que seus colegas do Rio de Janeiro, que estão greve para aumentar sua remuneração - R$ 950 para um bombeiro em início de carreira.

A diferença é ainda maior se comparada apenas ao salário dos bombeiros paranaenses (de R$ 2.428,39 para soldados recém-formados), 150% mais do que o que ganham os bombeiros fluminenses. Na Bahia, o salário é de R$ 1.948,23, 105% superior ao do Rio, e inclui o soldo mais gratificação e vale-alimentação.

Em Pernambuco, onde os soldados do Corpo de Bombeiros ganham R$ 1.881, as associações de classe querem que os salários subam para pelo menos R$ 2.400, e não para R$ 2.100, como está previsto para julho. Os bombeiros do Estado têm feito caminhadas e assembleias para pedir um aumento maior.

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/926235-bombeiros-do-pr-ba-mg-e-pe-ganham-o-dobro-do-que-os-do-rj.shtml

Anônimo disse...

Acho um absurdo total a atitude dos bombeiros! Levar mulheres e crianças a baderna?! Expondo-as ao risco de vida! Como homens treinados podem agir assim? O que é? Não estou satisfeito com meu salário vou tacar fogo na minha empresa? Amarrar meu chefe e criar rebelião na empresa? Claro que não! Se estamos insatisfeitos, podemos mudar de profissão! Que busquem então algo, uma profissão e salário, que os satisfaçam. Cabral agiu de forma correta em conter estes desvairados inconseqüentes, que merecem punição pela arruaça e por expor mulheres e crianças a tal ato insano!

Anônimo disse...

Boa tarde senhores!

Venho por meio deste comunicar-vos que eu, cidadão fluminense, estou insatisfeitíssimo com o atual Governo do Estado do Rio de Janeiro. Pago meus impostos, por sinal altíssimos, e o governador não paga um salário decente, um soldo digno aos Militares Estaduais. AUMENTO DE MILITAR É FEITO NO SOLDO, não em forma de gratificações (temporárias)! Apesar de ter a segunda maior arrecadação de impostos, o governo do Rio de Janeiro paga o menor salário do Brasil. O militar estadual precisaria de um piso salarial no valor de R$ 2.293,31 (dois mil, duzentos e noventa e três reais e trinta e um centavos) em junho/2011 (referente ao mês de maio), para conseguir arcar com suas despesas básicas, de acordo com dados divulgados pelo DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) no dia 3 de junho de 2011. O Amparo Legal é o Inciso IV do Artigo 7º da Constituição da República Federativa do Brasil.

A arrecadação do Rio de Janeiro não justifica este salário aviltante. A gestão de recursos está nas mãos de pessoas despreparadas. Um salário de R$ 2.900,00 (dois mil e novecentos reais) implicaria em pagamento de imposto de renda, aumento do consumo de bens e valores e consequentemente arrecadação maior para o Estado. O Rio de Janeiro ganharia em todos os sentidos, até em produtividade.

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina