PESSOAS QUE ACESSARAM O BLOG:


segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Tecnologia para os caveiras

Vinte lunetas especiais com alcance de até 1.350 metros, duas câmeras levadas por robô para reconhecimento de terrenos, microfones especiais e sondas equipadas com espelhos capazes de atravessar frestas em paredes para observação. O novo pacote de equipamentos do Batalhão de Operações Especiais (Bope) está em fase de licitação. A unidade testa ainda um avião espião, guiado por controle remoto para sobrevoar áreas de risco, avaliado em R$ 180 mil.

Há também a proposta de compra de 300 óculos à prova de estilhaços. O Bope mantém uma seção de materiais e pesquisa de novas tecnologias para a PM. “Avaliamos o custo benefício. Operações especiais não é força, é a melhor utilização da força, aliada aos instrumentos que precisamos”, avalia o comandante Paulo Henrique Azevedo. Em menos três meses, PMs participaram de quatro ações de resgate de reféns. Foram salvas 26 vítimas e presos 14 bandidos. “Os criminosos também se aperfeiçoam. Então, estamos sempre em busca de materiais que se adéquam ao nosso trabalho”, explica o major Maurílio Nunes, responsável pela avaliação dos equipamentos.

Coletes e coturnos

De imediato, os policiais vão receber três contêineres, com alojamentos e banheiros, que serão usados em Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). “Investindo no policial, ele vai render melhor. Estamos testando ainda uniformes com um material capaz de absorver, por exemplo, o suor”, afirma Paulo Henrique. O batalhão já recebeu 400 coletes à prova de balas e testa 50 coturnos com solados especiais, semelhantes aos de tênis utilizados por atletas em corridas.

Para o comandante da unidade, o maior objetivo é que parte do material também possa ser usado por outros batalhões, como aconteceu com os Caveirões, veículos blindados testados primeiro no Bope. “A evolução no combate ao crime está relacionada à modernização”, diz Paulo Henrique.

Segundo o oficial, o Bope entrou há dois anos no caminho dos avanços tecnológicos, durante a gestão de seu antecessor, o coronel Alberto Pinheiro Neto. “Os comandos passam, mas a filosofia fica. O terreno foi preparado e estamos trilhando. Quem assumir o meu lugar também colherá frutos”, destaca o tenente-coronel.

Robôs para observar favelas

Avaliados em aproximadamente R$ 160 mil, dois kits com robozinhos que levam uma câmera estão na lista de prioridades do batalhão. Guiado por controle remoto, o equipamento será capaz de gerar imagens para central de monitoramento do batalhão. Desta forma, os policiais poderão fazer observações em lugares de difícil acesso e em operações em favelas. “Ter capacidade de observação é fundamental para as operações”, justiça o comandante, Paulo Henrique Azevedo.

5 comentários:

Milena disse...

Três Rios

Policiais de Três Rios estão procurando por um homem apelidado como o "maníaco do carro cinza". O desconhecido que usa pedaço de pau ou barra de ferro para atacar e praticar assalto contra várias mulheres na cidade. Uma delas foi a professora Valéria Werneck Ferreira, que foi abordada pelo bandido no bairro Vale Esperança, próximo à sede 38º Batalhão da Polícia Militar.

A professora foi espancada e roubada no início da noite da última terça-feira. A vítima caminhava pela rua Ângelo Temponi, quando um homem desceu de um carro cinza, placa e marca não anotadas. Valéria foi ferida a pauladas na cabeça e chegou a cair no chão. Ela passou a gritar por socorro, o que acabou afugentando o ladrão, que roubou sua bolsa contendo documentos, cartão de crédito e dinheiro. Valéria chegou a ser socorrida no Hospital de Clínicas Nossa Senhora da Conceição.

Dois dias antes, outras duas mulheres já tinham sido atendidas no mesmo hospital, vítimas de agressão também de um homem que desceu de um carro cinza. A polícia tem conhecimento de que mais dez mulheres já foram atacadas pelo maníaco.
Rosa Maria Martins também foi vítima do bandido. Ela sofreu ferimentos também na cabeça, produzidos por uma barra de ferro. A polícia pede a população que se souber de algum detalhe que possa ajudar na identificação do agressor, ligar para o disque denúncia da Polícia Civil, através dos telefones 2252-4633 e 2255-3975, e da Polícia Militar (190).

Anônimo disse...

Salário mínimo deveria ser de R$ 2.065,47, aponta DIEESE

Cesta básica subiu em 10 capitais no mês de setembro, mostra DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).

O Salário Mínimo Necessário subiu para R$ 2.065,47 (dois mil e sessenta e cinco reais e quarenta e sete centavos).

Anônimo disse...

Rio de Janeiro's Military Police has the worst salary of Brazil (Cabral is the worst paying of the country)!

Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro tem o pior salário do Brasil (Cabral é o pior pagador do país)!!

Anônimo disse...

O que está faltando para que os governantes respeitem a Constituição?

O Rio é a porta de entrada para o Brasil, o que nos dá visibilidade no exterior. A cidade tem tido a má sorte de, há anos, ser maltratada por políticos incompetentes e mal-intencionados.

Soldo de PMs e BMs abaixo do salário mínimo é inconstitucional! Não se deixe enganar. O soldo é o salário do militar. Precisamos elevar a autoestima do militar estadual, isso deveria ser a prioridade do Governo do Estado.

Como o Brasil não pode "dar vexame" para o olhar mundial em nossa Olimpíada, está na hora de nossos políticos conseguirem concessões do governo federal. A PMERJ e o CBMERJ precisam ter suas tropas valorizadas como a PMDF e o CBMDF têm.

Anônimo disse...

Salário Mínimo Necessário

Salário mínimo deveria ser de R$ 2.065,47 (dois mil e sessenta e cinco reais e quarenta e sete centavos), aponta DIEESE.

Amparo legal: Constituição da República Federativa do Brasil, capítulo II, Dos Direitos Sociais, artigo 7º, inciso IV.

O capital humano da PMERJ e do CBMERJ precisa ser valorizado.

O Salário Mínimo Necessário é o valor estimado pelo DIEESE considerando o dispositivo constitucional (Artigo 7º, Inciso IV, da Constituição Federal) que prevê as necessidades que o salário mínimo deveria suprir.

A POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL NÃO PAGA BEM, AS OUTRAS POLÍCIAS MILITARES É QUE PAGAM MAL.

“O GOVERNANTE QUE DIZ QUE O ESTADO DO RIO NÃO TEM DINHEIRO PARA PAGAR MELHOR SEUS POLICIAIS ESTÁ MENTINDO!” (palavras de Sérgio Cabral Filho em 2006)

A tropa quer salário digno!

“POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA SÓ É FEITA COM POLICIAIS BEM PAGOS” foi o que disse o então candidato ao Governo do Rio, Sérgio Cabral.

Não há vitória sem luta!

A PMSE é um exemplo para as outras Polícias Militares, pois os Policiais recentemente se mobilizaram e decidiram deixar de se expor a ilegalidades existentes em seu serviço, como forma de mostrar ao Governo, e à sociedade, o que significa a ausência da Polícia nas ruas. Nos últimos três anos tiveram um aumento real de 150%!

Nenhum policial do Brasil, em qualquer área ou esfera da administração pública, exerce seu ofício com tanto risco quanto o PM do RJ. No entanto, nossos "heróis" não recebem gratificação de periculosidade!

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina